Entenda como funciona o Backfire

Backfire pode ser traduzido como “retrocesso de chama”, “fogo de trás” ou então analisando a expressão, como “consequências não intencionais de uma ação”, o equivalente ao “tiro que saiu pela culatra”, do Brasil. Ele, no universo automotivo, representa as explosões que acontecem dentro do escapamento, decorrentes de resíduos de combustível derivados do processo de combustão.

O backfire, na maioria dos carros, não é intencional, como ocorre em veículos antigos que passam pela rua dando grandes estouros. De fato, são indicações de algum problema, como motores desregulados que injetam mais combustível do que deveriam, e quando a válvula de escape se abre para liberar os gases gerados pela queima, o combustível que estava ali sobrando acaba queimando de modo descontrolado, desencadeando explosão e liberação de fumaça/chama.    

Para os entusiastas de plantão, que adoram mandar um backfire invocado, alguns especialistas afirmam que, de certa forma, ele é benéfico para o motor, servindo para resfriar a cabeça dos pistões, lubrificando-os.

Fazer fogo sair pelo escapamento é bom então? Não é aconselhado se seu veículo não conta com peças modificadas e preparadas para fazê-lo, sem as medidas adequadas você se coloca de bandeja para o azar e incontáveis prejuízos podem acontecer.

Seu carro está dando sinais de backfire? Verifique a situação das velas, de todo o sistema de ignição do carro e troque as peças que estejam desgastadas, fora do tempo de validade.

Outras dicas importantes para evitar o backfire são:

[x] Utilize um variador de avanço de procedência

[x] Esteja atento à manutenção da mistura ar-combustível

[x] Verifique a regulagem do redutor de pressão e do misturador, mantendo-o próximo ao corpo de borboleta.

Quer saber mais do assunto? Fale com a Race Chrome, conheça nossas linhas de produtos fabricados no Brasil.

Consulte prazos e formas de pagamento facilitadas: https://racechrome.com.br/produtos/

Comentários